O consumo de café e a Diabetes tipo 2

Consumo de café e a diabetes tipo 2

Vários são os estudos que indicam uma relação inversa entre o consumo de café e a incidência da diabetes tipo 2.

No entanto, o efeito aparentemente protetor do café não é devido ao efeito de uma das suas principais componentes (Cafeína), porque esta relação também é verificada no consumo de descafeinado. Ou seja, este efeito protetor pode ser explicado pelos outros componentes do café, como o magnésio, fitoestrogenios e polifenóis/ ácido clorogénico.

A cafeína possui ações variadas no metabolismo dos hidratos de carbono, estimulando a secreção pancreática da insulina, ações benéficas para pessoas em risco de desenvolver Diabetes.

O consumo de magnésio está também associado ao aumento da sensibilidade à insulina e consequente menor risco de desenvolvimento de Diabetes tipo 2.

Vários estudos mostram também que os polifenois tem uma ação redutora da absorção intestinal da glucose, assim como efeitos antioxidantes.

O café apresenta assim, múltiplos efeitos ao nível do metabolismo glucídico, nomeadamente a redução de hiperglicémia, típica da Diabetes. Dado o seu consumo generalizado e acessível poderá vir a ser incluído em recomendações nutricionais na prevenção da Diabetes tipo 2.

Contudo, devido às múltiplas variáveis implicadas, é difícil a realização de estudos conclusivos e de análises comparativas.

Em suma, e apesar de ser necessária mais investigação nesta matéria, o consumo de café, pelas suas componentes que tem um comportamento de controlo de glicemia, os portadores de diabetes tipo 2 podem beber café, sem problema. Mas sem açúcar, é claro!

Saiba ainda a relação desta bebida com o Risco de Acidentes Vasculares Cerebrais aqui.

Fonte: Revista Portuguesa de diabetes